Tipos de Câncer

Cavidade nasal e seios paranasais

O que é o câncer da cavidade nasal e seios paranasais

Para entender estes cânceres, é importante saber um pouco sobre a cavidade nasal, os seios paranasais e o tipo de células presentes nos locais – que podem desenvolver um câncer.

A cavidade nasal é a região que percorre o topo do céu da boca (o palato, que separa o nariz da boca) e desce para unir a passagem da boca à garganta. Os seios da face são cavidades (espaços) ou pequenos túneis, chamados de paranasais porque estão ao redor ou perto do nariz. A cavidade nasal se abre em uma rede de seios da face – seios maxilares, frontais, esfenoidais e seios etmoides – que estão cheios de ar. Quando há um resfriado ou infecção, os seios da face podem ficar bloqueados (obstruídos) e se encher de muco e pus.

A cavidade nasal e os seios paranasais são revestidos por uma camada de tecido produtor de muco (mucosa). A mucosa possui muitos tipos de células, incluindo epiteliais escamosas, glandulares, nervosas, células que combatem infecções, células dos vasos sanguíneos e outras de suporte. Outros tipos de células da cavidade nasal e seios paranasais, incluindo células ósseas e cartilaginosas, também podem se tornar câncer.

Subtipos de câncer da cavidade nasal e seios paranasais

Qualquer célula que constitua a mucosa pode se tornar câncer com características próprias, o que significa que eles não podem ser tratados todos da mesma maneira. Os principais tipos de câncer da cavidade nasal e seios paranasais são:

  • Câncer de células escamosas – ocorre quando há alteração nas células epiteliais escamosas. É o tipo de câncer mais comum na cavidade nasal e seios paranasais. Constitui um pouco mais da metade dos cânceres dessas áreas;
  • Adenocarcinoma, carcinoma adenoide cístico e câncer mucoeidermoide – são formados quando as células das glândulas salivares menores começam a se reproduzir desordenadamente. Estes também são cânceres nasais e nos seios paranasais relativamente comuns;
  • Carcinoma indiferenciado – tipo de câncer que pode vir das células da mucosa. É um câncer de crescimento rápido no qual as células parecem tão anormais que é difícil dizer em que tipo de célula começou;
  • Melanoma – as células que dão a cor à pele são chamadas de melanócitos, e o melanoma é um tipo de câncer que começa nessas células. Ele pode crescer e se espalhar rapidamente. Embora sejam cânceres normalmente encontrados em áreas da pele expostas ao sol, podem se formar no revestimento da cavidade nasal e seios da face;
  • Estesioneuroblastoma – também chamado de neuroblastoma olfatório, é um câncer que começa no nervo olfatório (o nervo do sentido do olfato). Geralmente começa no teto da cavidade nasal e envolve uma estrutura chamada placa cribriforme – osso entre os olhos e acima dos seios etmoides;
  • Linfoma – começa nas células do sistema imunológico (chamadas linfócitos) e pode ocorrer na cavidade nasal e nos seios paranasais. Um tipo de linfoma observado nesta área é o linfoma de células T/células natural killer do tipo nasal;
  • Sarcoma – é um câncer de músculos, ossos, cartilagens e células fibrosas que pode começar em qualquer parte do corpo, incluindo cavidade nasal e seios paranasais. Existem também tumores benignos da cavidade nasal e seios paranasais que, apesar de não serem câncer, ainda assim podem causar problemas;
  • Pólipos nasais – são crescimentos anormais dentro da cavidade nasal ou seios paranasais. A maioria dos pólipos nasais é benigna (não câncer), causada por algum tipo de inflamação crônica (de longa duração) no nariz. Pequenos pólipos que não estão causando problemas podem não precisar de tratamento. Pólipos maiores, por sua vez, causam problemas e podem precisar ser tratados com medicamentos ou cirurgia;
  • Papilomas – são verrugas que podem crescer dentro da cavidade nasal ou seios paranasais e destruir o tecido saudável. Os papilomas não são câncer, mas às vezes um carcinoma de células escamosas começa em um papiloma. Devido ao risco de câncer, os papilomas da cavidade nasal e seios paranasais são removidos por cirurgia;
  • Papiloma invertido – tipo de papiloma classificado como tumor benigno, mas tende a agir mais como um câncer. Costuma ser tratado com o mesmo tipo de cirurgia usada para o câncer.

Sintomas e sinais do câncer da cavidade nasal e seios paranasais

Os sintomas do câncer da cavidade nasal e seios paranasais são bastante inespecíficos, e a suspeita é sempre feita naqueles casos em que perdurem por pelo menos três semanas. Os sinais mais comuns são:

  • Congestão nasal que não melhora;
  • Dor acima ou abaixo dos olhos;
  • Bloqueio de um dos lados do nariz;
  • Gotejamento nasal na parte posterior do nariz e da garganta;
  • Hemorragia nasal;
  • Secreção purulenta pelo nariz;
  • Diminuição do olfato;
  • Dormência ou dor em partes do rosto;
  • Desprendimento ou dormência dos dentes;
  • Aparecimento de nódulo no rosto ou no pescoço;
  • Abaulamento de um olho;
  • Perda ou alteração da visão;
  • Dor ou pressão nas orelhas;
  • Dificuldade para abrir a boca.

Diagnóstico do câncer da cavidade nasal e seios paranasais

Os tumores de cavidade nasal e seios paranasais são diagnosticados em função dos sintomas que provocam – um diagnóstico em pessoas que não tenham sintomas é muito raro.

Após o exame clínico ou um exame radiológico, se o médico suspeitar de câncer irá pedir uma biópsia. Confirmada a doença, são feitos exames para verificar a extensão local e à distância da doença, por meio de exames de imagem, Os principais são:

  • Tomografia computadorizada – muito útil na identificação de cânceres da cavidade nasal e seios paranasais. A tomografia pode mostrar se um tumor destruiu o osso ao redor. Se for realizada no tórax, também pode mostrar se o câncer se espalhou para os pulmões;
  • Ressonância magnética – as imagens são melhores do que as da tomografia para observar cânceres das cavidades nasais e seios paranasais e saber se uma alteração é um fluido ou um tumor. Também podem mostrar se um tumor se espalhou para os tecidos moles próximos, como o globo ocular, o cérebro ou os vasos sanguíneos;
  • PET Scan (tomografia por emissão de pósitrons) – utiliza uma forma de açúcar radioativo que é injetado no sangue. Como as células cancerosas usam glicose em uma taxa mais alta do que as células normais, elas absorvem mais açúcar radioativo. Um scanner especial é então usado para criar imagens dos locais onde a radioatividade se acumulou.

Para fechar o diagnóstico, é necessário realizar uma biópsia. Neste procedimento, é retirado um pequeno pedaço de tecido para ser verificado com um microscópio, e esta é a única maneira de saber com certeza se o tumor é câncer de cavidade nasal ou seios paranasais.

Se o câncer for encontrado, os testes de laboratório também podem mostrar que tipo de câncer é seu grau de agressividade.

Muitas vezes, as biópsias são feitas no consultório médico ou clínica, com anestesia local. Se o tumor estiver em um local de difícil acesso ou puder sangrar muito, a biópsia será feita na sala de cirurgia.

Tumores profundos podem ser alcançados por biópsia endoscópica. Ferramentas cirúrgicas longas e finas são passadas através do endoscópio para obter uma amostra de biópsia.

Por fim, para tumores dentro dos seios da face, o médico pode ter que cortar a pele próxima ao nariz e os ossos subjacentes para alcançá-los, em um procedimento chamado biópsia aberta (cirúrgica).

Tratamento do câncer da cavidade nasal e seios paranasais

O tratamento depende do tipo de câncer, onde está localizado e até onde se espalhou. Os tipos mais comuns de tratamento para câncer de seio nasal e cavidade nasal incluem cirurgia, radioterapia e quimioterapia.

Se o câncer for detectado em estágio inicial, a cirurgia pode remover todo o tumor com sucesso. Se estiver crescendo rapidamente, várias terapias combinadas podem ser necessárias. Entenda, a seguir, as principais formas de lutar contra o câncer da cavidade nasal e seios paranasais.

Cirurgia – o objetivo da cirurgia nestas áreas é remover todo o tumor e uma pequena quantidade de tecido normal ao seu redor, mantendo a aparência e a função (como respiração, fala, mastigação e deglutição) o mais normal possível. Reconstruir e/ou reparar a área ao redor do tumor é uma parte importante do plano de cirurgia.

Se as margens ao redor do tumor, analisadas em laboratório, apresentarem células cancerosas, é mais provável que algum câncer tenha sido deixado para trás. Frequentemente, isso significa mais tratamento, como mais cirurgia ou radiação.

Cirurgia endoscópica – é usada com mais frequência para pequenos tumores. Nesse tipo de cirurgia, é usado um endoscópio (um tubo fino e flexível que é colocado no nariz para alcançar a cavidade nasal ou seio nasal) para ver e remover o tumor. Dessa forma, o cirurgião não precisa cortar pele e osso para abrir toda a cavidade, o que reduz o dano ao tecido normal. Em geral, a recuperação desse tipo de cirurgia leva menos tempo.

Em tumores maiores, esse tipo de cirurgia pode ser usado para ajudar a tentar controlar o câncer em pessoas que não são saudáveis ​​o suficiente para uma operação mais invasiva, maior. Normalmente é combinado com tratamento de radiação.

Remoção de nódulos linfáticos – cânceres da cavidade nasal ou seios paranasais às vezes se espalham para os gânglios linfáticos no pescoço. Dependendo do estágio e da localização do câncer, esses gânglios linfáticos podem precisar ser removidos em uma operação chamada esvaziamento cervical.

Radioterapia – pessoas com pequenos tumores na cavidade nasal geralmente podem ser curadas apenas com radiação. Pacientes que não possam fazer a cirurgia devido a problemas de saúde ou porque o tumor está muito avançado para ser removido também podem ser beneficiadas com a radioterapia – normalmente, seu único tratamento possível.

Após a cirurgia, a radiação pode ser usada para matar quaisquer células cancerosas que possam ter restado. Isso é chamado de tratamento adjuvante. Antes da cirurgia também pode ser usada para reduzir o tumor, o que torna a remoção mais fácil.

Quimioterapia – drogas quimioterápicas podem ser administradas na veia ou por via oral. Elas entram na corrente sanguínea e atingem todas as áreas do corpo, tornando esse tratamento útil para o câncer metastático que se espalhou para órgãos além da cavidade nasal e seios paranasais.

A quimioterapia pode ser usada antes da cirurgia, para tentar reduzir o tumor e facilitar a remoção. Também pode ser útil para tentar salvar o globo ocular se o câncer se espalhar na região. Antes da cirurgia, a quimioterapia alivia rapidamente os sintomas que o tumor estiver causando. Após a cirurgia, geralmente junto com radioterapia, reduz o risco de o câncer voltar.

Se não houver possibilidade de uma cirurgia ou radiação, a quimioterapia é uma das formas de cuidado paliativo, para amenizar os sintomas da doença e proporcionar conforto ao paciente.

Prevenção do câncer da cavidade nasal e seios paranasais

No momento, não existem exames de rastreamento para diagnosticar o câncer de cavidade nasal e seios paranasais precocemente, assim como não há como preveni-lo.