Você está em:

A lentidão do desenvolvimento dos tumores neuroendócrinos (TNEs) representa um perigo oculto

A lentidão do desenvolvimento dos tumores neuroendócrinos (TNEs) representa um perigo oculto

O dia 10 de novembro é marcado pela conscientização sobre os tumores neuroendócrinos (TNEs). Dentre cada 100 mil indivíduos, de 5 a 7 são diagnosticados com TNEs. Eles podem acometer praticamente todos os órgãos, sendo mais frequentemente observados no tubo digestivo, no pulmão e no pâncreas. “Em virtude do seu lento desenvolvimento, os sintomas demoram a surgir e, quando o fazem, estão, geralmente, associados ao órgão afetado, dificultando seu diagnóstico preciso, já que pode ser confundido com outras doenças”, alerta Aline Chaves, oncologista da Oncocentro, em Belo Horizonte (MG).

No ano de 2020, o 8º Simpósio Internacional do Grupo Oncoclínicas dedicou um painel específico aos TNEs, inclusive com participações de convidados internacionais. Foram discutidos o algoritmo de tratamento dos TNEs do trato digestivo, os limites da abordagem cirúrgica nos carcinomas neuroendócrinos, seu perfil patológico e molecular, e os achados incidentais, que representam os tumores diagnosticados por meio de endoscopia.

Em nosso site você tem acesso à reportagem completa sobre o painel de tumores neuroendócrinos, assim como aos outros artigos desse simpósio.

GRUPO ONCOCLíNICAS. SUA ViDA, NOSSA VIDA.

Responsável técnico: Dr. Bruno Lemos Ferrari | CRM-MG 26609