4584, 4584, logo-nob_colorido, logo-nob_colorido.svg, 52542, https://www.grupooncoclinicas.com/nob/wp-content/uploads/sites/11/2018/03/logo-nob_colorido.svg, https://www.grupooncoclinicas.com/nob/logo-nob_colorido/, , 1, , , logo-nob_colorido, inherit, 0, 2018-03-01 18:49:54, 2018-03-01 18:49:54, 0, image/svg+xml, image, svg+xml, https://www.grupooncoclinicas.com/nob/wp-includes/images/media/default.png, 0, 0, Array

Cardiologia

A importância da Cardiologia no tratamento oncológico

Nos últimos anos, avanços no tratamento farmacológico do câncer conduziram a uma melhora significativa no prognóstico de pacientes oncológicos e redução da mortalidade por muitas formas de câncer. No entanto, para atingir este resultado, um preço considerável tem sido pago, em efeitos colaterais cardíacos, associados ao tratamento intensivo anti-câncer.

Não só os agentes quimioterápicos citotóxicos tradicionais, como antraciclinas, mas também as novas terapias “alvo”, tais como anticorpos monoclonais e inibidores de tirosina quinase, podem afetar o coração, diminuindo a qualidade de vida e sobrevida dos pacientes.

O espectro de efeitos secundários cardíacos da quimioterapia podem incluir disfunção cardíaca, levando a insuficiência cardíaca, isquemia do miocárdio, arritmias, hipertensão, miocardite, pericardite, e tromboembolismo. Os efeitos podem ocorrer como sequelas tardias, muitos anos após o final do tratamento.

No momento,  prevenção, monitoramento e tratamento de efeitos colaterais cardíacos representam um grande desafio, que, ambos, oncologistas e cardiologistas devem enfrentar, para maximizar os benefícios em termos de prognóstico oncológico, enquanto se reduz risco cardíaco.

ProfissionalEspecialidade
ELINE LÔBO DE SOUZA Cardiologia

GRUPO ONCOCLíNICAS. SUA ViDA, NOSSA VIDA.

Responsável técnica: Dra. Gildete Sales Lessa | CRM-BA: 3319