Você está em:

Glossário

INIBIDORES DE TIROSINA-QUINASE

Algumas células produzem determinadas substâncias capazes de estimular o crescimento da própria célula e de outras células. Essas substâncias são chamadas de fatores de crescimento. Os fatores de crescimento exercem seus efeitos através de sua ligação com receptores localizados na superfície das células, chamados de receptores de membrana. Cada fator de crescimento se liga a seu receptor específico, graças à complementaridade estrutural entre as duas moléculas, como em um sistema de chave e fechadura.
Uma vez que o fator de crescimento se liga a seu receptor próprio, desencadeia-se uma série de reações químicas no interior da célula, que culmina com a expressão de genes que irão ativar funções como a proliferação celular ou a angiogênese.
Para que essa série de reações químicas ocorra, é essencial a participação de uma proteína chamada tirosina-quinase. Dessa forma, a inibição da tirosina-quinase previne a transmissão de sinal entre o fator de crescimento, seu receptor, o interior da célula e os genes, impedindo o estímulo à proliferação celular e à angiogênese.
Os inibidores de tirosina-quinase pertencem à classe das drogas de alvo molecular e vem sendo utilizados no tratamento do câncer de rim, pulmão, cabeça e pescoço, além de certos sarcomas e algumas neoplasias hematológicas.
Para saber mais sobre as drogas de alvo molecular, consulte a seção “Perguntas Frequentes – Drogas de Alvo Molecular”.

GRUPO ONCOCLíNICAS. SUA ViDA, NOSSA VIDA.

Responsável técnico: Dr. Bruno Lemos Ferrari | CRM-MG: 26609