2837, 2837, ce_oncologica, ce_oncologica.svg, 6291, https://www.grupooncoclinicas.com/ceon/wp-content/uploads/sites/17/2017/11/ce_oncologica.svg, https://www.grupooncoclinicas.com/ceon/ce_oncologica/, , 1, , , ce_oncologica, inherit, 0, 2017-11-28 18:52:10, 2017-11-28 18:52:10, 0, image/svg+xml, image, svg+xml, https://www.grupooncoclinicas.com/ceon/wp-includes/images/media/default.png, 0, 0, Array
Você está em:

Drogas de Alvo Molecular

O que são

Drogas de alvo molecular funcionam agindo diretamente no tumor e preservando as células saudáveis. Elas atacam moléculas com alterações genéticas específicas que fazem com que uma célula normal se transforme em tumoral, tornando-se uma opção de tratamento menos agressiva ao organismo e, em alguns casos, mais eficiente contra a doença.

Entre as principais drogas de alvo molecular utilizadas no tratamento do câncer estão os inibidores de tirosina-quinase e os anticorpos monoclonais.

Este tipo de terapia de alvo molecular tem sido usado de forma isolada ou combinada com as demais modalidades terapêuticas, como a quimioterapia convencional. Em caso de associação com a cirurgia, as drogas de alvo molecular podem ser usadas em duas situações:

  • Neoadjuvante: antes da operação, para reduzir o tamanho do tumor e facilitar o procedimento, além de preservar ao máximo os tecidos saudáveis.
  • Adjuvante: depois da cirurgia, para diminuir a chance de que a doença apareça novamente.

Como funciona

As drogas de alvo molecular foram desenvolvidas com base nas proteínas encontradas na superfície ou no interior das células tumorais. Os medicamentos têm essas substâncias como principal alvo e impedem a sequência de eventos que leva à proliferação de células malignas no corpo. São administradas por via endovenosa ou oral, em forma de comprimidos ou cápsulas.

Efeitos colaterais

De uma forma geral, as drogas de alvo molecular são menos tóxicas ao organismo que a quimioterapia convencional. O tratamento causa menos efeitos colaterais, tais como vômitos, náuseas e queda de cabelo. Mas é importante ficar atento às possíveis reações adversas das drogas de alvo molecular, que vão da hipertensão arterial, diarreia e inflamação da parte interna da boca e garganta, às alterações cutâneas.

Confira em terapias complementares e em efeitos colaterais dicas e maneiras de aliviar os efeitos adversos que podem ocorrer ao longo do tratamento.

Duração do tratamento

 O período do tratamento irá depender do tipo de câncer e das suas características moleculares.

GRUPO ONCOCLíNICAS. SUA ViDA, NOSSA VIDA.

Responsável técnica: Dra. Vera Lucia Ferreira da Silva Teixeira | CRM-RJ: 52.49757-9