Você está em:

A proteção solar e a prevenção do câncer

O câncer de pele é a neoplasia mais frequente no Brasil e corresponde a cerca de 30% de todos os tumores malignos registrados no país. Nesse grupo de cânceres, o mais frequente é o câncer de pele não melanoma, sendo o câncer de pele melanoma raro (representa apenas 3% dos casos)1. A estimativa do INCA para o triênio 2020-2022 é que o câncer de pele não melanoma continuará sendo o mais incidente no país, com 177 mil novos casos a cada ano. 

Nas duas patologias, a principal causa do desenvolvimento da doença é a exposição prolongada e desprotegida aos raios ultravioletas do sol – UVA e UVB –, especialmente na infância e na adolescência. Isso porque pesquisas indicam que a exposição cumulativa e excessiva durante os primeiros 10 a 20 anos de vida aumenta muito o risco de câncer de pele na fase adulta ou na velhice.

Para a prevenção do câncer de pele, é necessário evitar a exposição desprotegida ao sol, especialmente entre as 10h e as 16h, quando os raios solares são mais intensos. A proteção solar pode ser feita com o uso de chapéus, guarda-sóis, óculos escuros, camisas de mangas longas e filtros solares com FPS (fator de proteção solar) 30 ou mais, contra os raios UVB, e amplo espectro contra os raios UVA.

 

Como a proteção solar atua na prevenção do câncer

Ao penetrar na pele, os raios UVA e UVB causam danos às células da pele que podem causar desde vermelhidão até câncer de pele. A radiação UVA tem comprimento de onda mais longo, alcança camadas mais profundas da pele e é a principal responsável pelo fotoenvelhecimento e pelo câncer de pele. Já a UVB tem comprimento de onda mais curto e é responsável por queimaduras solares e pela vermelhidão da pele, condições que influenciam no surgimento do câncer.

Todos esses fatores causam estresse oxidativo nas células cutâneas, favorecendo a produção e a ação dos radicais livres. Os radicais livres são agentes que prejudicam o metabolismo intracelular e causam danos no DNA, no RNA, nos lipídios e nas proteínas das células. Eles também prejudicam o funcionamento do sistema de reparo do DNA – aquele que é acionado para tentar combater células danificadas que possam levar à formação de tumores –, o que contribui para a proliferação das células com mutações causadoras do câncer.

Tanto as barreiras em forma de roupas e acessórios quanto os filtros solares, quando bem utilizados, impedem que os raios ultravioletas penetrem na pele e a danifiquem.

No caso específico dos filtros solares, existem dois tipos, com ações diferentes:

  • Filtro solar físico (ou inorgânico) – à base de dióxido de titânio e óxido de zinco, se deposita na camada mais superficial da pele, refletindo as radiações incidentes; e
  • Filtro solar químico (ou orgânico) – funciona como uma espécie de “esponja” dos raios ultravioletas, transformando-os em calor.

 

Dicas para uma boa proteção solar na prevenção do câncer

O INCA (Instituto Nacional de Câncer) e a SBD (Sociedade Brasileira de Dermatologia) recomendam as seguintes medidas para uma proteção solar adequada como prevenção do câncer:

  • Iniciar a proteção contra os raios ultravioletas do sol na primeira infância, uma vez que os danos são cumulativos;
  • Usar filtros solares com FPS 30 ou mais, contra os raios UVB, e amplo espectro contra os raios UVA;
  • Usar filtro solar próprio para os lábios;
  • Aplicar o filtro solar 30 minutos antes da exposição ao sol;
  • Reaplicar o filtro solar a cada duas horas ou após nadar, suar e/ou se secar com toalhas;
  • Na praia ou na piscina, optar por barracas ou guarda-sóis feitos de algodão ou lona, que absorvem 50% da radiação ultravioleta – enquanto os de nylon retêm apenas 5% dos raios; e
  • Seguir a “regra da colher de chá” para aplicar a quantidade certa de protetor solar em todo o corpo: 
    • Uma colher de chá de protetor solar para rosto, pescoço e cabeça;
    • Uma colher de chá de protetor para a parte da frente do tronco;
    • Uma colher de chá de protetor para a parte de trás do tronco;
    • Uma colher de chá de protetor para cada braço;
    • Uma colher de chá de protetor para a parte da frente de cada perna; e
    • Uma colher de chá de protetor para a parte de trás de cada perna.

GRUPO ONCOCLíNICAS. SUA ViDA, NOSSA VIDA.

Responsável técnico: Dr. Bruno Lemos Ferrari | CRM-MG 26609