4584, 4584, logo-nob_colorido, logo-nob_colorido.svg, 52542, http://www.grupooncoclinicas.com/nob/wp-content/uploads/sites/11/2018/03/logo-nob_colorido.svg, http://www.grupooncoclinicas.com/nob/logo-nob_colorido/, , 1, , , logo-nob_colorido, inherit, 0, 2018-03-01 18:49:54, 2018-03-01 18:49:54, 0, image/svg+xml, image, svg+xml, http://www.grupooncoclinicas.com/nob/wp-includes/images/media/default.png, 0, 0, Array

O pâncreas é um dos órgãos do sistema digestivo. Localiza-se na região superior do abdômen, atrás do estômago, e é composto por cabeça, centro e cauda.  O adenocarcinoma – tumor de pâncreas que se origina no tecido glandular – é o mais comum, atingindo 90% dos casos diagnosticados. Grande parte dos casos afeta a cabeça, que é o lado direito do órgão.

Sintomas

O câncer de pâncreas muitas vezes é assintomático. Quando os sintomas aparecem, geralmente, são inespecíficos; comuns a outras doenças. Entre os sinais possíveis estão:

  • Falta de apetite
  • Perda de peso
  • Fraqueza
  • Dor, que pode ser sentida no abdômen, nas costas ou em ambos
  • Diarreia
  • Depressão

Quando o câncer de pâncreas apresenta metástase no fígado, pode causar icterícia – coloração amarelada de pele e mucosas.

Fatores de risco

  • Ser homem
  • Ter mais de 50 anos
  • Tabagismo
  • Pancreatite crônica, inflamação crônica do pâncreas
  • Antecedente de cirurgia para úlcera no estômago
  • Dietas ricas em carne vermelha e/ou gorduras
  • Exposição prolongada a pesticidas e produtos químicos
  • Doenças genéticas raras, tais como a pancreatite hereditária
  • História de diabetes mellitus

Detecção

O diagnóstico do câncer de pâncreas é feito por meio de exames de laboratório e de imagem. São realizados exames de sangue que verificam a presença da CA 19-9, proteína que se encontra elevada em cerca de 90% dos pacientes com a doença.

Os exames de imagem, como ultrassonografia, tomografia computadorizada e ressonância magnética de abdômen, também podem ser realizados com a finalidade de estabelecer a localização do tumor e avaliar o ataque a gânglios linfáticos e outros órgãos.

Em muitos casos, é realizada uma biópsia para a confirmação anatomopatológica da doença.

Tratamento

A remoção do tumor por cirurgia é indicada de acordo com o seu tamanho, localização e extensão. O procedimento pode retirar partes variáveis do pâncreas, além de órgãos adjacentes, como a vesícula biliar, o intestino delgado e o baço.

A quimioterapia e/ou radioterapia podem ser combinadas com a cirurgia em duas situações:

  • Neoadjuvante: antes da operação, para reduzir o tamanho do tumor e facilitar o procedimento.
  • Adjuvante: depois da cirurgia, para diminuir a chance de que a doença apareça novamente.

Há casos em que a cirurgia não é indicada e o tratamento é feito unicamente com a quimioterapia e a radioterapia. O tratamento com drogas alvo moleculares também vem sendo pesquisado.

Em pacientes com metástases, pode ser indicada a colocação de endoprótese como medida paliativa.

Após o tratamento, é recomendada a realização periódica de exames físicos e complementares, que podem incluir endoscopia e tomografia de abdômen.

Prevenção e hábitos saudáveis

  • Moderar a ingestão de bebidas alcoólicas
  • Ter uma dieta balanceada
  • Não fumar
  • Praticar atividades físicas regulares

Prognóstico

Se diagnosticado precocemente, o paciente com câncer de pâncreas tem maior chance de recuperação. A doença é agressiva e tem alta taxa de mortalidade, porque a difícil detecção leva a um diagnóstico tardio.

O câncer de pâncreas atinge homens e mulheres na mesma proporção. O tabagismo é um grande fator de risco para a doença.

CADASTRE-SE E RECEBA NOVIDADES no seu e-mail.

GRUPO ONCOCLíNICAS. SUA ViDA, NOSSA VIDA.