Para preservar a qualidade de vida e promover o bem-estar dos nossos pacientes, passamos a contar com a crioterapia - também conhecida como criocirurgia ou crioablação.A crioterapia tem sido uma alternativa importante para algumas questões que costumam aparecer após o diagnóstico do câncer, como autoestima baixa, ansiedade, estresse e depressão, decorrentes da queda de cabelos ocasionada pela quimioterapia.

O que é

Basicamente, trata-se de um procedimento inovador que estimula os folículos capilares do couro cabeludo e preserva os cabelos dos pacientes com câncer, mesmo durante o tratamento quimioterápico. É realizada por meio de um equipamento inglês, chamado ORBIS, testado em vários países da Europa, em mais de 2.000 pacientes submetidos a diferentes processos de quimioterapia, com uma taxa de sucesso que variou de 49% a 100% dos casos publicados.

Como funciona

Esse procedimento inovador utiliza uma touca gelada, em temperatura média de 4°C, para resfriar o couro cabeludo e promover a contração dos vasos sanguíneos. Esse resfriamento cria uma espécie de capa protetora que preserva os folículos pilosos e reduz a quantidade de medicamento que chega às raízes, reduzindo também as chances de queda.

Efeitos colaterais

A crioterapia não possui muitos efeitos colaterais graves e costuma ser bem tolerada pela maioria dos pacientes em tratamento oncológico. O que pode ocorrer são sintomas como sensação de frio, dores de cabeça ou tontura. Esses sintomas desaparecem rapidamente e são considerados irrelevantes diante de resultados como a redução da perda de cabelo, a sensação de bem-estar e o aumento da autoestima.

Quem pode fazer o tratamento

A crioterapia pode ser aplicada em pacientes diagnosticados com a maioria dos tipos de câncer, com exceção dos casos de pacientes com câncer hematológico, como a leucemia e o linfoma. Pessoas que possuem alergia no couro cabeludo também não podem fazer essa terapia.

Orientações e informações importantes para a execução da crioterapia

Para obtenção de bons resultados, é importante assegurarmos o resfriamento antes, durante e após a aplicação medicamentosa, por um período de tempo estabelecido para cada droga. O procedimento leva em média cerca de 4 a 5h.Para a execução, solicitamos:
  1. Lavar o cabelo, preferencialmente no dia do procedimento, e não secá-lo. Para a realização do resfriamento, é necessário que o cabelo esteja limpo e úmido, o que permite a melhor difusão do frio.
  2. Não lavar o cabelo por cinco dias após a crioterapia.
  3. Não utilizar secador.
  4. Não é recomendável o uso de tintura ou coloração, caso seja necessário, consulte a dermatologista de referência.
  5. No dia da aplicação, evite o uso de fivelas, presilhas, brincos e próteses auditivas.
  6. Para o seu conforto, providencie:
    • Três toalhas (2 de banho e 1 de rosto)
    • Um pente de dentes largos
    • Um casaco extra e uma troca de roupa
    • Um par de meias de lã ou grossas
    • Roupas confortáveis
Você será acompanhado por um enfermeiro durante todo o procedimento. Caso prefira, pode trazer um acompanhante para permanecer ao seu lado.